Christian Cravo

Biografia

Nascido em 1974, da união de uma dinamarquesa com um brasileiro, Christian Cravo viveu os seis primeiros anos de vida em um ambiente artístico e tropical na cidade do Salvador, estado da Bahia, Brasil. Filho de um fotógrafo e neto de um escultor, Christian teve o privilégio de ser introduzido no mundo das artes ainda na tenra idade.

Aos sete anos segue com a sua mãe para a Dinamarca e durante os anos seguintes vive um intercâmbio constante entre o seu país de origem e sua nova "casa". No entanto a distância geográfica faz crescer um desejo de ter laços ainda mais fortes com a sua família paterna. E foi através das artes que ele iniciou esse percurso. Aos doze anos da início as suas experiências fotográficas, ainda na Dinamarca, construindo uma câmera escura, espaço onde passou grande parte da sua adolescência, em uma das dependências da sua casa.

Aos 17 anos ele volta para o Brasil por sua inquietação e incentivo de seu pai. Nos dois anos passados no Brasil Christian viaja pelo sertão nordestino e descobre a beleza de um país que até então desconhecia. Essa imersão fez com que ele percebesse que a fotografia era o veículo pelo qual ele poderia conhecer o mundo e o homem e neste momento também decide que este
é o ofício que quer desenvolver como profissão.

Em 1993 interrompe suas pesquisas fotográficas para cumprir o serviço militar nas forças armadas dinamarquesas, onde passa mais dois anos de sua vida. Com vinte e um anos, volta ao Brasil onde começa a ficar profundamente entrosado com a máquina fotográfica e retoma os projetos.

Após um árduo trabalho ele vê sua obra tomar forma e ganhar reconhecimento, não apenas em nível nacional, mas também internacionalmente através de exposições no Museu de Arte Moderna da Bahia, no Throckmorton Fine Arts em Nova Iorque, na Billedhusets Galeri em Copenhagem, na S.F. Camera Works Gallery em São Francisco, no Ministério da Cultura em Brasília, no Museu de Arte Sacra em Belém e em exposições coletivas tais como na Witkin Gallery, no Throckmorton Fine Arts, no Houston foto fest e no Palais de Tokyo em Paris e no
El Museo del Barrio em Nova Iorque.

Durante estes anos Christian também recebeu prêmios do Museu de Arte Moderna da Bahia, do Mother Jones International Fund for documentary Photography, uma bolsa de estudos da fundação Vitae e a prestigiada bolsa de estudos da Fundação John Simon Guggenheim para sua pesquisa sobre o Nordeste Brasileiro. Mais tarde Christian foi nomeado para o prêmio Paul Huff, Holanda 2007, em que são nomeados os 100 fotógrafos mais promissores da atualidade e indicado para o Prix Pictet em 2008, Reino Unido/Suiça, a mais importante premiação voltada para temas sobre sustentabilidade na fotografia, sendo o único fotógrafo sul americano a participar.

Seu primeiro livro “Irredentos” foi publicado em 2000, retratando a vida e a fé no sertão brasileiro. Em 2005 seu segundo livro “Roma noire, ville métisse” foi publicado em Paris pela Autrement, trazendo belas imagens sobre a cultura negra no estado da Bahia. “Nos Jardins do Éden” foi o seu terceiro livro, publicado em 2010.

Seu ultimo projeto editorial Exú Iluminado é a retrospectiva sobre o seu avô, o escultor Mário Cravo Júnior, projeto deixado em andamento pelo seu pai, o fotografo Mario Cravo Neto, falecido em 09 de agosto de 2009.

Seu trabalho é representado pela Throckmorton Fine Arts na cidade de Nova Iorque desde 1996 , local onde já realizou quatro exposições individuais. O trabalho de Christian também é representado com exclusividade no Brasil pela galeria TEMPO no Rio de Janeiro e pela DAN galeria em São Paulo.

Atualmente Christian se dedica a projetos pessoais. A África é seu novo território.

A morte prematura de seu pai lhe trouxe uma nova missão, a criação do Instituto Mario Cravo Neto destinado a preservação e manutenção da obra do seu pai.

Brasil +55.11.98089.6521
base@christiancravo.com
Facebook